Carlim Mamed indica pela estrutura de saúde e defesa da mulher

O vereador Carlos Antunes Mamede indicou ao prefeito a necessidade de criar o Protocolo de Manchester na Unidade Mista de Saúde e na estrutura de Saúde da Família no município de Fronteira.

Carlim Mamed indica pela estrutura de saúde e defesa da mulher

 

O vereador Carlos Antunes Mamed indicou ao prefeito a necessidade de criar o Protocolo de Manchester na Unidade Mista de Saúde e na estrutura de Saúde da Família no município de Fronteira. Ele assinala que este protocolo, criado na cidade inglesa de mesmo nome, ajuda a ordenar o sistema de atendimento do público, que passa pelo médico de acordo com o seu estado de saúde e não por ordem de chegada. O vereador explicou que o protocolo consiste no uso de pulseiras nas cores azul, verde, amarelo, laranja e vermelho, que servem para classificar a gravidade do quadro de saúde de cada paciente que buscar as unidades de pronto atendimento.

Para ele, é um método eficaz para a gestão de riscos clínicos a partir da identificação de prioridade entre os pacientes que buscam os serviços de emergência. Ao chegar, o paciente passa por uma triagem que identifica o seu quadro e organiza a ordem das consultas nas instituições que recebem grande volume de pacientes. O Protocolo de Manchester, segundo ele, estabelece uma linguagem comum para a definição dos atendimentos prioritários, de acordo com o quadro de saúde inicial e os riscos em cada caso.

Por meio da Indicação 24 de 14 de agosto, Carlos Mamed propôs que seja inserida Semana de Mobilização e Combate à Violência Contra a Mulher na agenda de trabalhos da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria de Assistência Social, propondo que o evento seja realizado sempre na semana do Dia internacional da Mulher, no mês de março.

Ele aponta que é necessário combater as causas da violência e que uma delas é o machismo. O vereador propôs que essa medida venha para incentivar o estabelecimento de pactos nas relações sociais entre homens e mulheres que preservem a vida e para que a violência machista seja considerada algo inaceitável por todos. “O Brasil está entre os países com maior índice de homicídios femininos. Esta luta pelo fim da violência contra as mulheres deve ser diária e abordada em todos os setores da sociedade.”


Publicado por: Hilario Rosa (Assessoria de Imprensa)

Publicado em: 15 de agosto de 2018

Cadastre-se e receba notícias em seu email